Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização.

  • O Alentejo 2020 já apoiou  1 647 estudantes apoiados nos  Cursos Técnicos Superiores Profissionais?
  • 102 empresas já foram apoiadas em inovação  produtiva para a criação de novos produtos,  processos e sistemas de combate à COVID-19?
  • Já beneficiaram dos fundos europeus 569  empresas, com o apoio do Alentejo 2020?
  • 203 habitações em áreas urbanas já foram  reabilitadas com o apoio do Alentejo 2020?
  • O Alentejo 2020 já  apoiou 159 209 m2  de criação ou reabilitação urbana?
  • O Alentejo 2020  já apoiou 11 708  participantes em ações de trabalho  socialmente necessário?
  • 18 134 equipamentos informáticos foram  atribuídos a escolas e cedidos a alunos  carenciados, com o apoio do Alentejo 2020?
  • O Alentejo 2020 já beneficiou 13 303  crianças, através do apoio a infraestruturas de  acolhimento de crianças ou de educação?
  • O Alentejo 2020 já apoiou 125 equipamentos sociais e de saúde?
  • O Alentejo 2020 já apoiou 4665 candidaturas?

Pergunta 1

A partir de que momento está o beneficiário obrigado a cumprir as regras de informação e comunicação?

Resposta 2

As obrigações de informação e comunicação dos apoios dos Fundos previstas na legislação da União Europeia e nacional devem ser cumpridas pelos beneficiários após assinatura do termo de aceitação ou celebração do contrato subsequente à aprovação da operação. Assim, enquanto não houver aprovação da operação e subsequente aceitação da decisão ou celebração do contrato, os beneficiários não se encontram sujeitos à obrigação de cumprir as regras de informação e comunicação. Não obstante, nos casos em que as ações se desenvolvam, total ou parcialmente, antes da assinatura do termo de aceitação ou celebração do contrato, recomenda-se, enquanto boa prática, que os beneficiários assegurem, de forma diferida, a informação e comunicação dos apoios dos Fundos. Constituem exemplos de boas práticas: a difusão de notas de imprensa alusivas ao apoio concedido, a publicação de anúncios em órgãos de comunicação social nacionais, regionais e locais, a criação/atualização de páginas Web, bem como a colocação de "cintas” em publicações existentes ou a aposição de autocolantes/selos da "barra de cofinanciamento”. Estas duas últimas práticas só devem ser aplicadas neste caso restrito e quando justificado. Este entendimento decorre da legislação em vigor, bem como do parecer do grupo de interpretação FEEI da Comissão Europeia e é adotado por todas as Autoridades de Gestão do Portugal 2020.

 

Portal2020    Balcão Fundos



IFRRU2020